Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

riscos_e_rabiscos

.

.

Dos outros e eu.

Quando alguém vai passar por uma situação complicada ou importante, gosto de dar o meu apoio, de torcer muito para que corra tudo bem. Desejo-o do fundo do coração, com sinceridade e despretenciosamente.

 

Sou assim, grande parte das vezes dou mais importância aos outros do que a mim. Umas vezes inconscientemente e outras vezes tendo plena consciência deste facto.

 

Ultimamente tenho passado por algumas situações com alguma delicadeza. Aparentemente não são tragédias mas são coisas sobremaneira importantes para mim e para a minha vida. São coisas que mexem muito , demasiado, comigo e com as minhas emoções, e que todo o apoio, palavras e ombros amigos, são benvindos.

 

E é aqui que reside o busílis da questão. Sinto que quando mais preciso de apoio e que me confortem com miminhos, as pessoas desvalorizam aquilo porque estou a passar. Dizem-me coisas disparatadas e que em vez de me tranquilizarem ainda me deixam mais inquieta. Outras vezes ignoram, fingem que eu não disse nada.

 

Será que eu sou assim ão chata? Não poderei eu viver os meus próprios dramas e merecer umas palavras doces de consolo? Há alturas em que isto me fica a matutar na mente mas ainda não consegui obter quaisquer respostas...

 

 

Eu uso... e tu?

Deparei-me com esta notícia aqui no sapinho. Realmente fiquei espantada com a notícia, Não pelo facto em si mas por ser o título de uma notícia.

 

Tenho que quer sincera e fazer-vos uma revelação: eu também sou adepta de uma ida ao WC de telemóvel na mão. Sou, pronto! Gosto assim ou da outra variante, ou seja com o tablet. Gosto de ver as novidades facebookianas, ler blogs ou até ler mails.

 

Mas o que eu gosto mesmo, mesmo, mesmo é de jogar Bejewled no meu telemóvel. Não há nada que supere um dsafio de Bejweled naqueles momentos críticos e em que as paredes do WC ainda nos parecem mais desinteressantes.

 

Antes não se ia ler o jornal ou um livro - que eu também sou grande apreciadora - para o WC? Com os avanços dos tempos levamos o smartphone ou o tablet. O objecto é diferente mas o objectivo é o mesmo. 

 

E agora quem tem coragem de admitir que também faz o mesmo? 

 

 

Ó São Pedro, ninguém merece!

Ser acordada às 6.30 da manhã com um temporal desgraçado com trovoada e chuva é assim um bocadinho demais! Já pensaste que se calhar a esta hora haveria alguém que precisava de dormir mais um pouco? 

 

Como se não bastasse o estardalhaço da madrugada, de vez em quando ainda nos brindas assim com uma espécie de rio... assim que te dá na telha, abres as comportas e chove-nos um rio em cima!

 

Ora conta lá onde tens o Livro de Reclamações, ó São Pedro, para eu te deixar lescritas umas palavrinhas. Pode ser?

Regressei às aulas.

Regressei às aulas, regressei ao trabalho, à minha actividade principal. Com algumas novidades desagradáveis, como mais uma baixa de salários e uma redução de 10 minutos no recreio, entre outras pequenas coisas.

 

Continuo com as mesmas turmas do ano passadoe mais duas novas. Veremos como as novas se vão comportar!

 

Foi muito bom ter ficado na mesma escola e rever os meus alunos. Sabem o que é incrível, é o facto de os miúdos mais mal comportados e das turmas mais rebeldes virem ter comigo e mostrarem o seu contentamento por continuarem comigo. Acredito que isto significa que os miúdos gostam efectivamente de mim - e eu deles -, apesar de ter de fazer o papel de má e mandona muitas vezes e que eu odeio!

 

É bom retornar aos sítios onde somos e nos fazem felizes. é bom retornar às rotinas na companhia de quem nos faz feliz.

Memórias de amor.

 

Gosto destes dias assim, de chuva. Nesta altura fazem-me volta à minha infância, ao início das aulas, ao tempo em que o outono era outono.

 

Ainda guardo na memória todas as malas escolares que tive, relembro uma em particular que deve ter sido a do primeiro ano: era de colocar às costas - nada de mochilas, no meu tempo não as havia - de cor amarela, tinha uma espécie de verniz e era tão pequenina.Sei que ela ainda existe algures na casa da minha mãe.

 

Lembro-me da minha mãe me ir levar à escola e de eu ir pisando pequenas poças de água com as minhas botas de borracha vermelhas. Lembro-me das ruas cobertas pelas grandes folhas velhas e molhadas dos plátanos, que formavam um lindo tapete colorido.

 

Gosto de relembrar estas memórias de infância tão simplistas mas tão cheias de significado e felicidade. São memórias de amor.

Giveaway da Camomille

A minha amiga Camille do blog Camomille, resolveu fazer um giveaway de uns vernizes giros que se fartam!

 

Ora eu vaidosa como sou, tinha que concorrer para ganhar, como é claro. E como quero que vocês tenham a possibilidade de ganhar estes vernizes giríssimos e ficarem com as unhas lindas, vim aqui contar-vos tudo! :D

 

http://flor-de-camomila.blogspot.pt/2014/09/giveaway-quero-ver-as-vossas-unhas.html
https://www.facebook.com/pages/Camomille/790237171041946?fref=ts
Boa sorte!
{#emotions_dlg.sarcastic}

O Regresso...

Estou de regresso. De regresso à vida, à rotina, à escola, às costuras. As férias já lá vão e eu estou pronta para receber o que aí vem de braços abertos.

 

Este mês é um mês de mudança, de renovação, de medos, nervosismos, desafios e receios. O pensamento deve ser positivo e acreditar que vai tudo correr bem.

 

As minhas férias não foram nada de excepcional, dividiram-se entre Lisboa e o Alentejo. Conheci algumas terras e sítios que ainda não tinha visitado e estive na companhia da família, o que é sempre bom.

 

Setembro ê meu amiguinho, está bem? :D